Mais de 60% dos empresários na Rússia não estão prontos para mudar para o formato livre de cobiças
2021-06-30 12:22

Mais de 60% dos empresários na Rússia não estão prontos para mudar para o formato livre de cobiças

Mais de 66% dos empresários disseram que não estavam prontos para mudar para o modo livre de cobiças e limitar o leque de clientes a pessoas com vacinação, que tiveram uma doença ou têm um teste PCR negativo, a TASS escreve citando uma pesquisa da Like Center, uma empresa de educação tecnológica para empresários. Mais de 1 mil empreendedores participaram da pesquisa.

"66,3% dos empresários admitiram que não estavam prontos para mudar para o regime livre de COVID e limitar os clientes àqueles que tinham certificados de vacinação/sobredose/ teste PCR negativo. 29,7% dos entrevistados concordam em tomar esta medida, mas somente se não houver outras opções para continuar", disse o estudo.

Ao mesmo tempo, 36,8% dos entrevistados prevêem que as perdas de receita média mensal em relação às restrições anti-covisão serão de até 10%, 18,6% dos entrevistados acreditam que perderão 30 a 50%, 16% - de 10 a 30%, 15,7% - de 50% a 70%, outros 12,9% estimam que suas perdas prováveis serão de 70 a 90% da receita média mensal.

"Segundo Rosstat, o faturamento das pequenas empresas em 2020 foi de 25 trilhões de rublos. Assim, as pequenas empresas podem perder pelo menos 200 bilhões de rublos por mês devido às novas medidas antipopulares. Além disso, dependendo do desenvolvimento da situação epidemiológica e da introdução das respectivas medidas restritivas, o número pode crescer várias vezes", - comentários de Vasily Alekseev, diretor geral do "Like Center", citado na pesquisa.

O prefeito de Moscou, Sergey Sobyanin, assinou anteriormente um decreto segundo o qual, desde 28 de junho, somente os visitantes com proteção contra doenças poderão visitar estabelecimentos públicos de restauração: aqueles vacinados, que tenham tido COVID-19 nos últimos 6 meses ou que tenham o teste PCR negativo válido por 3 dias e emitido pelo laboratório de Moscou. A exigência também deve se aplicar às casas de verão, mas as autoridades adiaram o prazo para as restrições de 28 de junho para 12 de julho.

Fabricado na Rússia // Fabricado na Rússia

Autor: Karina Kamalova