Cientistas da Rússia começaram a estudar o movimento dos asteróides e do lixo espacial
2021-09-10 02:05

Cientistas da Rússia começaram a estudar o movimento dos asteróides e do lixo espacial

Os cientistas do Departamento de Física da Universidade Estadual Tomsk (TSU) começaram a estudar as complexas trajetórias dos objetos - detritos espaciais, objetos quase lunares e asteróides próximos à Terra. As regularidades de seus movimentos são estudadas usando modelagem computadorizada e análise de dados de máquinas, disse a Fundação Russa de Ciências (RSF).

No momento, segundo a NASA, no espaço quase terrestre, existem algumas centenas de milhares de objetos medindo pelo menos 10 centímetros. O crescimento anual é de cerca de mil fragmentos. Os resultados do projeto, apoiados pela Fundação Russa de Ciência, ajudarão a organizar a distribuição dos detritos espaciais.

"Uma tarefa igualmente urgente é estudar a evolução orbital dos objetos quase lunares, já que a humanidade pretende explorar a Lua e o espaço quase lunar nas próximas décadas. O estudo da estrutura dinâmica desta área espacial ajudará a evitar erros e custos improdutivos na implementação de projetos quase lunares", disse a gerente de projetos, Professora Associada de Astronomia e Geodésia Espacial do Departamento de Física da TSU, Anna Aleksandrova.

Entretanto, o projeto também resolve outro problema - melhorar a precisão da previsão do movimento dos asteróides que se aproximam da Terra, disse a Fundação Russa de Ciências. A criação pelos cientistas da TSU de um modelo mais preciso de seu movimento permitirá uma melhor previsão do perigo potencial desses objetos.

"Para analisar os dados, os pesquisadores usam um modelo algorítmico implementado usando redes neurais artificiais. Isto automatizou parte do processo para identificar as ressonâncias que afetam o movimento de objetos quase terrestres e quase lunares. <...> O uso de métodos de aprendizagem de máquinas acelera significativamente o processamento de grandes quantidades de dados e alivia os cientistas do processo de classificação monótono de rotina", diz o relatório.

Fabricado na Rússia // Fabricado na Rússia

Autor: Karina Kamalova