Partilhar
Atualizar assinatura
Obrigado por subscrever!
Assine hoje o Feito na Rússia e receba as notícias mais interessantes sobre negócios, exportação e cultura russa hoje
Mídias sociais e assinatura RSS

2020-05-18 08:06

Empresas russas exigem o levantamento da proibição das exportações de arroz

Os produtores nacionais de arroz solicitaram às autoridades o levantamento da proibição de exportação de arroz do país, que foi imposta devido à difícil situação epidemiológica.

De acordo com o serviço de imprensa da União do Arroz do Sul, o volume de resíduos de arroz é hoje de quase 178 mil toneladas, ou seja, 20% mais do que no ano passado, pelo que as restrições à exportação podem ser levantadas.

De acordo com a decisão do Conselho de Administração da Comissão Económica Eurasiática, publicada em Abril deste ano, relacionada com a pandemia da COVID-19, o segundo pacote de medidas foi introduzido a partir de 12 de Abril, incluindo restrições temporárias à exportação de uma série de produtos alimentares da União Económica Eurasiática. Estes incluem arroz, centeio, painço, cereais, trigo mourisco, pellets de cereais em grão, farinha, bem como nabo, alho e cebola.

Os representantes da União consideram que, na altura do aumento da procura, as restrições eram justificadas. No entanto, como no final de Abril a procura de produtos alimentares no mercado interno não só estabilizou, como também apresentou valores negativos para certas posições, e os resíduos de arroz irão satisfazer as necessidades não só do mercado interno, mas também do mercado internacional, não há necessidade de manter medidas restritivas.

Segundo Mikhail Radchenko, director executivo da União do Arroz do Sul, as restrições às exportações provocarão um excedente de arroz no país e reduzirão a rentabilidade das empresas russas neste sector. A proibição existente já causou perdas aos produtores de arroz, uma vez que na Rússia a pandemia não é reconhecida como um caso de força maior, e estes pagaram sanções ao abrigo dos contratos de fornecimento em vigor.

O serviço de imprensa da União constata igualmente que a maioria dos Estados exportadores de arroz, concorrentes das empresas russas no mercado mundial, que também fornecem arroz de grãos longos aos Emirados Árabes Unidos e à Rússia, eliminaram as suas restrições.

Fabricado na Rússia // Fabricado na Rússia

Autor: Daria Vankova

Partilhar
São proibidos comentários após 5 dias desde as publicações devido à política editorial